Discordância nos bastidores

As duas principais motivações para a demissão de Rubens Gomes, agora ex-diretor de futebol do Corinthians, foram o contrato com a Vaidebet e a confusão na chegada do lateral-direito Matheus França.

Na última quinta-feira (2), o presidente Augusto Melo decidiu dar o aval para que fosse anunciada a saída de Rubão. Agora, o mandatário terá que lidar com o crescimento da oposição.

Augusto Melo vai conseguir se manter até o final do mandato?

Augusto Melo vai conseguir se manter até o final do mandato?

0 PESSOAS JÁ VOTARAM

Rubens não deve se aliar à chapa que tem Andrés Sánchez como personagem central. Entretanto, deve adotar uma postura de apoiar determinadas pautas e o impeachment de Augusto é uma das mais fortes agora.

Para se proteger de uma possível queda que venha a acontecer para atrapalhar o próprio mandato, o executivo promove uma série de demissões para estar blindado.

Duas saídas imediatas

Nas últimas horas, além de R. Gomes, Wagner Vilaron também foi desligado da função. O profissional era responsável por comandar a comunicação do Alvinegro Paulista e arquitetou a campanha de Augusto Melo.

Rubão e Augusto Melo lado a lado. Foto: Rodrigo Coca/Ag. Corinthians

Rubão e Augusto Melo lado a lado. Foto: Rodrigo Coca/Ag. Corinthians

Existe medo da situação que Rubão possa se tornar um adversário político e o ex-diretor dá indícios de que essa é a tendência para as próximas semanas, principalmente sabendo dos pormenores da nova gestão.

Mais demissões estão em pauta para acontecer, visto que Augusto Melo quer limpar o clube paulista de pessoas que são mais próximas a Rubens do que a ele na presidência.

Desta forma, acredita-se que conseguirá estar blindado pelo menos momentaneamente no Corinthians e se fortalecer no decorrer dos meses para suportar a pressão da concorrência.

O QUE DIZEM OS FANÁTICOS