Não existe virar a bola para o meio

OPINIÃOFluminense x Manchester City marca um duelo de admiração de ambos os lados, sobretudo pela postura dos treinadores Pep Guardiola e Fernando Diniz.

Apesar do clima ter esquentado na preleção, com Felipe Melo elevando a temperatura do duelo, e ter terminado da mesma forma, no embate do pitbull com Walker, o confronto foi resolvido na bola.

O que causou a derrota do Fluminense?

O que causou a derrota do Fluminense?

0 PESSOAS JÁ VOTARAM

Manchester City goleou com facilidade um Tricolor que se perdeu no gol relâmpago de Julian Álvares, aos 40 segundos do primeiro tempo, graças ao erro individual de Marcelo.

“Dê a César o que é de César”, já dizia o ditado. Não existe o lateral-esquerdo multicampeão na carreira virar uma bola para o meio, ainda mais pelo alto. A decisão custou caro.

Nino tem crédito e vai dar a volta por cima

Quanto ao gol contra do zagueiro Nino, o jovem não teve culpa. Claro que cai sobre as costas dele o tento na hora que o Fluminense poderia reagir, mas aconteceu o que é possível com qualquer pessoa que se joga na frente de uma jogada para salvar a própria meta.

Phil Folden desta vez contou com a sorte de principiante, visto que disputou o Mundial da FIFA pela 1ª vez na carreira, e teve o chute encobrindo Fábio para estufar as redes do Flu.

O que é de extrema coragem e é preciso vangloriar é o fato de que Fernando Diniz não abriu mão da própria filosofia de trabalho, e os jogadores acreditaram nisso fielmente.

Diniz teve audácia, ambição e confiança para se manter convicto que daria para vencer o City mantendo a mesma forma de jogar que usa diante dos adversários que o Nense volta a enfrentar no dia 18 de janeiro.

O QUE DIZEM OS FANÁTICOS