Com a saída de Vanderlei Luxemburgo comunicada pela Comitê de Transição do Cruzeiro neste processo de formalização do clube-empresa, a equipe celeste volta ao mercado em busca do novo comandante para 2022. Luxa participou do planejamento do time para a próxima temporada. No entanto, isso foi feito antes da compra do Cruzeiro por Ronaldo. Agora é provável que esse planejamento mude radicalmente. 

O primeiro ponto é a financeira. De acordo com a imprensa mineira, Ronaldo quer reduzir drasticamente a folha salarial do Cruzeiro. Atualmente, a folha celeste é de R$2,6 milhões mensais. O objetivo do dono é deixar em R$1 mi/mês. Diante deste cenário é provável que jogadores deixem a Toca da Raposa nos próximos dias. 

Luxemburgo também foi dispensado pela questão salarial. De acordo com o Superesportes, o vencimento da comissão técnica de Luxa era de R$220 mil por mês. Um valor alto para a nova gestão do clube. 

Diante deste cenário, o Cruzeiro vai atrás de algum técnico que aceite e entenda a realidade financeira do clube. Ainda segundo o Superesportes, há um nome preferido na cúpula celeste: Antônio Oliveira. O português, que comandou o Athletico, foi procurado pela nova diretoria do Cruzeiro. O contrato seria de um ano, com prorrogação de mais um em caso de acesso à Série A do Campeonato Brasileiro. 

Antônio Oliveira chegou no Brasil para ser auxiliar de Jesualdo Ferreira no Santos, em 2020. Com a demissão do treinador, Oliveira foi para o Athletico ser assistente de Paulo Autuori. Em março de 2021, Antônio Oliveira assumiu o comando do Furação. Foi ele que iniciou a campanha do título da Copa Sul-Americana. No entanto, uma sequência ruim no Campeonato Brasileiro sacramentou a saída do português. Ao todo, comandou o rubro-negro paranaense em 40 jogos, com 21 vitórias, sete empates e 12 derrotas. Aproveitamento de 58%. 

Brasileiros na lista

Caso Antônio Oliveira não feche com o Cruzeiro, a equipe tem outros dois nomes na manga: Mano Menezes e Fernando Diniz. O primeiro já dirigiu a Raposa e foi bicampeão da Copa do Brasil. No entanto, tem a questão financeira. Teria que se readequar à realidade celeste. 

Já Fernando Diniz treinou o Vasco na Série B de 2021, em que não conseguiu o acesso. Seria um alvo, financeiramente, mais fácil do que Mano. Entretanto não há nenhuma negociação aberta com qualquer um dos brasileiros.